Do Pink ao Punk – Outono/Inverno 2013

Agosto foi embora e com ele o calor que deixou todo mundo extasiado em Dublin! Com os primeiros dias de frio, que chegaram de forma não muito sutil, vem a preguiça, as reclamações e ódio do tempo gelado que ninguém estava com saudades. Ainda há esperanças de dias ensolarados, mas temperaturas altas, só daqui um ano! (oh God!)

Apesar de toda a resistência em aceitar a chegada do Outono e logo mais a chegada do queridíssimo Inverno, pelo menos podemos começar a pensar no que vestir na próxima estação! Chegou a hora de desempacotar todas as roupas de frio e quem sabe encontrar alguma animação nas tendências para o Outono/Inverno 2013.

Os desfiles mostraram tendências totalmente opostas e agora fica mais fácil analisar toda a informação que nos foi dada com a chegada das novas coleções nas lojas. Os tons pastéis voltaram com tudo, para minimizar os casacos oversized e o a releitura do punk veio para dar aquela emoção nas roupas de inverno!

Céline, Victoria Beckham, Louis Vuitton, Gucci, Mulberry são algumas das marcas que apresentaram coleções em tons pastéis. A maioria apostou nos casacos claros e no estilo boyfriend (aqueles bem largos) nas passarelas. Muitos não me encantaram, pois me lembram as roupas da Dolores Umbridge do Harry Potter, lembram? Pois é, pode ser maldade, mas prefiro me inspirar na próxima tendência: o Punk!

A rebeldia voltou, mas de forma completamente diferente e com detalhes que enriquecem qualquer roupa. Sutilmente algumas marcas incluíram spikes, correntes, preto, vermelho,  xadrez e muita atitude nas suas roupas, trazendo a controvérsia e o espírito de rebelião para as passarelas e só deram certo, porque ao mesmo tempo, conseguiram reviver um estilo muito usado, mas seguindo completamente o caminho do glamour.

Lembro perfeitamente de todas as críticas que Hedi Slimane, diretor criativo da Yves Saint Laurent, recebeu depois do desfile de Outono/Inverno 2013 da marca. Para muitos aparentemente era o fim do luxo francês nas passarelas, para outros o ar punk que ele trouxe era o começo de uma tal “modernidade” que a marca precisava. Enfim...Karl Lagerfeld também trouxe um pouco do lado escuro da Chanel para as passarelas, assim como Givenchy, Versace, Moschino… E de repente o punk virou tendência de todos os lados.

Cada marca trouxe a tendência em cores pastéis ou o punk de alguma forma e hoje todos os modelos “usáveis” e acessíveis estão disponíveis nas araras das maiores fast fashions do mundo! Gostou das novas tendências?

Candy Colagem

c600x372

Montagem Punk

c600x489

Anúncios

Brogue baratinho

Hoje venho postar uma alternativa para as amadas sapatilhas: BROGUES.

Brogue

Pesquisando um pouquinho antes de fazer este post, fiquei surpresa com a origem do sapato. A palavra Brogue é derivado de blòg que vem do Gaélico (Irlanda) e blóg do Escocês e significa SAPATO.

Esses sapatos de solado baixo, são caracterizados pela fabricação com vários pedaços de couro e as perfurações decorativas que envolvem toda a parte superior e lateral do sapato. Mas essas perfurações não são tão decorativas assim! Lá no comecinho, quando o sapato foi criado na Irlanda e na Escócia, e para quem não sabe, chove muito nestes países, as perfurações do sapato foram feitas para deixar a água escorrer caso você pegasse um mau tempo (90% do ano ha). Interessante não?? Há tanto tempo namoro esses sapatos nas lojas e nunca imaginaria tamanha função para os furinhos hoje meramente decorativos!

No passado, mais conhecido como um sapato masculino, típico das regiões interioranas, hoje faz parte de looks de homens e mulheres, vistos em escritórios e em momentos de lazer, e há muitas temporadas de moda, não sai das vitrines pelo mundo afora.

Há alguns anos atrás, comprei um com salto médio e adoro para usar com meia-calça e vestidos, mas sempre quis um mais tradicional e baixo. Ainda não tive coragem de investir, pois são modelos não tão baratos e com um estilo um pouco diferente. Para experimentar, comprei um baratinho e mais delicado do que o tradicional, na Penneys (e já adianto que adorei) para o Outono que está dando as caras, o desejo do momento é um brogue preto tradicional e uma bota de cano baixo (ankle boot).

Acho bem legal usar ele em contraste com roupas mais delicadas ou investir no look andrógeno total. Hoje usei o meio termo e o brogue veio em um look que facilmente usaria com uma sapatilha mais feminina.

Como estava com calça preta e camiseta cinza de caveira, resolvi quebrar um pouco da pegada rock com um casquinho a la Chanel e bolsa amarela, também para quebrar o look monocromático!

Claro que todas as peças são da ZARA (blá) e o sapato da Penneys!

Brogues

Brogues

_D309274 done

Cintia Tanno

Cintia Tanno blog

Zara

Blog Entre 3 Mundos Cintia Tanno

_D309170 done

Fotos – Piotr Kadziolka

Phoenix Park – Dublin

Look do dia – Mid skirt

Mid Skirt IS BACK

Não é de hoje que a Mid Skirt, que nada mais é do que saia de comprimento médio, está presente (novamente) no mundo da moda, mas tão discretamente, que quase não percebemos.

A moda é assim, se não estiver em todas as vitrines, na novela das 8 ou 90% da população usando o mesmo tipo de roupa, muitas das vezes é difícil perceber uma tendência! Vale a pena prestar atenção nos desfiles de moda, nas novas coleções que estão por vir, nos tapetes vermelhos, que dão show na hora de mostrar tendências e nos editoriais de moda das revistas. Se você curte o mundo fashion, será um prazer olhar com mais atenção alguns detalhes deste mundo tão gostoso que é a moda!

A saia média, que teve seu auge nos anos 40 e depois nos anos 60, voltando super rodada (quem nunca quis uma fantasia dos anos 60 hã?), está de volta e ousando em todos os tipos de cortes e cores.

Desde a pré coleção de Outono 2012, Stella McCartney, Jonathan Saunders, Chanel, Salvatore Ferragamo, Roksanda Iincic (Vestiu Emma Stone em uma das premieres do Amazing Spider Man), Chloé e Dior apresentaram inúmeros modelos de Mid Skirt.

Já nos desfiles Outono (Fall) 2013, Céline, Balenciaga, Proenza Schouler,Chanel e Luis Vuitton também voltaram com a trend da mid skirt. Marc Jacobs abusou do comprimento médio no show da Luis Vuitton, e trouxe para a passarela vestidos e saias de seda, totalmente fluídos que lembram muito lingerie e também cortes mais retos e rente ao corpo.

Já nas lojas de fast fashion, Zara e H&M são as que mais me chamaram atenção com as saias de corte médio. Engraçado que a única saia e o único vestido que tenho, de comprimento mid, são da H&M. Um pouco mais rodados, acho que deixam o visual um pouco mais casual e fácil de combinar com qualquer hora do dia. As saias e vestidos da Zara, apesar de lindos, um pouco mais retos e formais, não receberam meu investimento.

Apesar de encantar nas passarelas e criar looks conceituais lindos em todos os fashion shows, a mid skirt pode ser um pouco mais difícil de ser usada. Um dos maiores riscos é o de achatar demais o corpo, então baixinhas, se não querem parecer menores ainda, cuidado. Combinar a saia com o salto sempre facilita o equilíbrio.

Claro que na moda não há regras, e o uso de sapatilhas e sandálias baixas também formam delicado look com a saia.

No look de hoje, para não parecer muito caricata, ou velha demais ou anos 60 demais, usei a saia com camiseta cinza básica, sandália de 3 cores, jaqueta jeans para dar um toque atual e clutch com caveiras para tirar um pouco do romantismo que a saia pode trazer.

Sei que o comprimento  médio não agrada todo mundo e gera mais medo do que desejo, mas acho super feminino e se bem usada vai causar elgios desde o verão até o inverno. Para dar um ar mais jovem, vale usar com camisetas divertidas, sweaters e cropped tops para quem está com a barriguinha em dia. Vale lembrar que hoje, está sim usando muito o cropped top (mini blusas), mas nunca, nunca mostrando o umbigo!

Mid Skirt 8 72dpi

Mid Skirt 10 72dpi

Mid Skirt 7 72dpi

Mid Skirt 9 72dpi

Mid Skirt 1 72dpi

Mid Skirt 4 72dpi

Mid Skirt 5 72dpi

Mid Skirt 6 72dpi

Mid Skirt 3 72dpi

 

Saia/Skirt – H&M

Camiseta/T-shirt – Penneys

Sapato/Shoes – ZARA

Jaqueta/Jacket – ZARA

Clutch – Direto da China/Comprada no Ebay

Photos – Piotr Kadziolka

“Girly Day” – Dia das Meninas

Todo fim de semana, por mais que eu planeje ficar em casa para não acabar cedendo a tentação das compras e gastando com o que não deveria, o plano nunca da certo e acabo dando umas voltinhas por aí.

Mas esse fim de semana a tática foi outra…passear no lado “posh” da cidade. A Joice, minha amiga, me chamou para dar uma volta no lado Sul de Dublin e lá fomos nós bater perna na Grafton Street, mas a andança não durou muito!

Foi só avistar a loja da M.A.C lotada de gente, com umas mulheres super produzidas e lá fomos nós nos aventurar dentro da Brown Thomas. Digo se aventurar, porque cada dia que entro naquela loja é uma festa, tanto por causa dos preços exorbitantes das grandes marcas ou por super desejar vários cosméticos e bolsas da Donna Karan. Mas dessa vez foi especial, demos sorte de um sábado cheio de eventos e vendedoras com muita boa vontade!

A Brown Thomas foi aberta por Hugh Brown em 1848 e no ano seguinte, com a parceria de James Thomas eles começaram a expandir a loja, que na época passou a ocupar os números 15, 16 e 17 da Grafton Street. Depois de muitas mudanças, diferentes donos e compras de ações por diferentes companhias por gerações e gerações, hoje a Brown Thomas é parte da Wittington Investment Group, uma companhia mundial especializada em vendas. Também parte deste groupo está a Selfridges do Reino Unido, Holt Renfrew do Canadá e Bijenkorf da Holanda. Atualmente a Brown Thomas está localizada ainda na Grafton Street, mas nos números 88-95, com uma loja de 12,000 m2 .

A loja, para poder fazer um comparativo, seria algo como a Daslu irlandesa, melhorada! Uma loja de departamentos luxuosa  com Boutiques como Hermès, Louis Vuitton, Christian Dior, Gucci, Armani Cosmetics, Jo Malone, Molton Brown. Boutiques femininas como Chanel,Valentino, Versace, Jimmy Choo, Dolce & Gabbana. Também há na loja um espaço da tão conceituada estilista de noivas Vera Wang. Além de joalherias como Tiffany & Co e Cartier. É de morrer de ódio, mas o que mais adoro por aqui, é poder ter acesso a todas essas lojas normalmente, como se estivesse entrando na C&A.

Além de roupas, sapatos e acessórios, a loja é um ótimo lugar para se acabar nos cosméticos, e por causa deles que acabei entrando na Brown Thomas no último sábado.

Depois de um bom tempo nos acabando na M.A.C, experimentando batons, iluminadores e rindo horrores…Fomos passando pela Clinique, Clarins (onde ganhamos um bolinho delicioso, cortesia da casa) até chegar na loja de Alexander McQueen e morrer de amores por todas as bolsas que lá estavam. No segundo andar da loja admiramos todos os Louboutins que mais pareciam obras de arte expostas em um museu, passamos por todas as araras das grandes marcas e nos deparamos com um desfile da Max Mara, e foi lá que nos sentimos RICAS! haha. Desfile intimista, com direito a Champagne e tudo!

Um dia perfeito para meninas que adoram moda e que por mais que você não possa comprar uma roupa de grife, sempre vale visitas como essas para ficar ligado nas tendências  e procurar tudo parecido mais tarde nas redes de Fast Fashion por aí!

E vale a pena falar da decoração delicada com várias Torres Eiffel distribuída por toda a loja. Uma celebração da Brown Thomas pelo estilo, beleza e moda francesa. O dia das mães que aqui é celebrado no dia 18 de Março também ganhou um toque francês na loja!

E para finalizar o dia com grande estilo, um super almoço-jantar no Wagamama e gelato italiano do Gino’s de sobremesa! Adorei meninas!

 

* Desculpa pelas fotos de baixa qualidade tiradas com o Blackberry

Brown Thomas Dublin, 88-95 Grafton Street, Dublin 2, Ireland

T. +353 (0)1 605 6666

F. +353 (0)1 605 6750