Casa do Alentejo

Quando chegou a hora de almoçar, a Paula me perguntou o que gostaria de comer… No mesmo momento respondi que gostaria de experimentar algo típico de Portugal.

Para minha surpresa, ela não me levou para comer bacalhau, mas me levou para um mundo a parte, escondido atrás de uma portinha, ainda na Baixa, na Casa do Alentejo.

Esse é um daqueles lugares que, se estivesse turistando sozinha por Lisboa, passaria totalmente despercebido. Não é o tipo de lugar que chama atenção por fora, mas sabendo um pouco sobre o que pode encontrar por trás daquela fachada, já é o suficiente para te incentivar a entrar.

A região do Alentejo é a maior de Portugal e tem fortes influências árabes na sua cultura. A ocupação pelos árabes no sul do país teve uma duração de quase 500 anos.  Tanto que, se for visitar algumas igrejas cristãs da região, muitas delas foram reedificadas em cima de mesquitas. Mértola é a vila onde mais se pode perceber essa herança árabe.

Por causa das grandes planícies, a região desenvolveu ótimas condições para o plantio de trigo, cevada, aveia e girassol. Também por causa das boas condições agrícolas, a região se orgulha muito do Vinho Alentejano, uma das suas principais produções. Bejo, Portalegre e Évora são ótimas cidades para apreciar a cultura alentejana. Não posso esquecer de mencionar que o centro histórico de Évora foi declarado como Patrimônio Mundial pela UNESCO.

É uma região com muita história e com uma cultura peculiar, por isso vale muito a pena tirar uns minutos do seu dia para sentar na Casa do Alentejo, provar um vinho e quem sabe alguns petiscos ou até uma refeição completa.

A Casa fica localizada na Baixa, na Rua Portas de Santo Antão, 58.  Quando abri a porta e dei de cara com a escadaria, comecei a entender porque era realmente um “mundo” lá dentro. Já na entrada é possível reconhecer toda a arquitetura árabe, cheias de mosaicos, que lembram muito o Marrocos.

No térreo, onde ficamos, se encontra o bar da Casa do Alentejo, ambiente um pouco mais informal, mas muito aconchegante. No primeiro andar fica o restaurante, lugar para comer com mais calma, por causa da comida pesada, característica da comida alentejana.

Dentro do palacete da Casa do Alentejo, além do bar e restaurante, também há uma biblioteca social, pátio árabe e salões para festa (incríveis!).

Paula e eu comemos no bar várias entradas com pães, queijos da região, uma jarra de vinho, Migas (aprovado!) e chorizo (que não é feito de sangue!) e uma sobremesa cada e a conta deu menos de 10 euros para cada uma.

Uma opção barata para quem quer conhecer uma nova cultura!

DICAS ÚTEIS

Casa do Alentejo

Rua das Portas de Santo Antão, 58
1150-268 Lisboa
Tel.: 213405140

Todos os dias da semana
Horário: 12:00 às 15:00 e das 19:00 às 23:00
Animação: Presença de grupos cantares alentejanos e bailes aos Domingos.

Anúncios

Lisboa a pé – Baixa

Depois de começar o meu dia passando pelos miradouros mais importantes da cidade, continuei passeando por todo centro antigo de Lisboa, reconhecendo tudo que já tinha visto por fotos, até chegar na Baixa.

Depois de passar pela Catedral da Sé, fomos andando até a Rua Augusta, sempre parando para ver as vitrines e lojas de souvenirs. Durante todo o caminho  inúmeras lojinhas para comprar suas lembranças de Lisboa farão você enlouquecer. Vale a pena entrar e pesquisar preços, assim se tiver tempo no próximo dia pode voltar e comprar no lugar mais barato. Mas a diferença de preços não são tão grandes de uma loja para outra, então se realmente gostou e o preço está legal, compre!

A Rua Augusta, que é fechada para o trânsito, é um ótimo lugar para também começar o passeio por Lisboa. Cercada de lojas de grandes marcas, cafés, restaurantes e souvenirs, é um ótimo lugar para passear tranquilamente e decidir qual praça de um dos extremos da rua irá conhecer primeiro. Foi lá que em um dos quiosques de informações peguei todos os mapas da cidade e guias de eventos de Lisboa.

Também na Rua Augusta, antes de chegar no Arco, o Museu de Design e da Moda (MUDE) me chamou atenção,  e claro que tive que entrar. Totalmente gratuito, o MUDE é parada obrigatória para os amantes de moda e design que passam por Lisboa.

Assim que saímos do museu, logo de cara já vi o grandioso Arco da Rua Augusta, que está situado ao Norte da Praça do Comércio. Do centro da praça, o arco fica ainda mais bonito com todos os seus detalhes, esculturas e cercado pelos prédios amarelos.

No topo do arco, um texto homenageia a grandiosidade de Portugal por causa da  fase dos descobrimentos.

Atravessando toda a praça, também vale a pena chegar bem perto das margens do Rio Tejo e tirar algumas fotos por ali. Se o dia estiver ensolarado, a paisagem ganha ainda mais charme, com todas as pessoas que param ali para escutar o artista tocando ou só para tomar um pouco de sol antes do próximo passeio.

Da Praça do Comércio também é possível encontrar algumas opções de ônibus ou elétricos que vão para Belém. Ônibus para a Praça das Nações também passam por ali.

Indo para o outro extremo da Rua Augusta, outra parada obrigatória é no Elevador de Santa Justa. O elevador está localizado em uma das ruas paralelas a Rua Augusta, a Rua do Ouro. Também conhecido como Elevador do Carmo, foi construído entre 1898 e 1902 através do  projeto do engenheiro Raoul Mesnier du Ponsard. Muitos falam que o projeto também foi de Gustave Eiffel, criador da Torre Eiffel em Paris, mas nas minhas pesquisas não consegui tirar a dúvida de que realmente foi comprovado algum tipo de ligação entre os dois engenheiros.

A vista para o Castelo de São Jorge do topo do elevador também vale muito a pena, além da experiência de subir para o Bairro Alto num elevador que mais parece uma obra de arte.

Eu subi e desci, continuando meu passeio pela Rua Augusta, mas se preferir pode tomar um café no alto do elevador e continuar seu passeio pelo Bairro Alto. Não paguei ingresso pois estava usando a carteira de passes da minha amiga, mas se tiver com seu cartão do transporte público carregado pode usá-lo para subir com um super desconto ou pagar 5 Euros em dinheiro logo na entrada do elevador.

Chegando no outro extremo da Rua Augusta, a Praça do Rossio. No meio da praça encontra-se a estátua de D. Pedro IV e logo depois o Teatro Nacional D. Maria II. Ao lado do teatro a Estação do Rossio, de onde saem os trens em direção a Sintra.

Vale muito a pena entrar e tirar fotos de perto de toda a arquitetura neo-manuelina. Para quem quer ficar hospedado em um lugar super bem localizado, dentro da estação foi inaugurado o mais novo hostel de Lisboa. O Rossio Patio Hostel oferece diárias a partir de 18 Euros e acho deve ser no mínimo muito interessante ficar hospedado dentro de uma estação de trem ou comboios como dizem os alfacinhas.

Depois de uma manhã bem movimentada, com andanças entre miradouros e a baixa, Paula me levou para um super almoço na Casa do Alentejo.

DICAS ÚTEIS

ELEVADOR DE SANTA JUSTA

Horário de Funcionamento do Elevador de Santa Justa:
Todos os dias: 7:00h – 22:00h (Horário de Inverno)
Todos os dias: 7:00h – 23:00h (Horário de Verão)

Horário de Funcionamento do Miradouro de Santa Justa:
Todos os dias: 8:30h – 20:30h

Tarifário do Elevador de Santa Justa:

Bilhete Santa Justa – 5,00€ (adquirido a bordo, válido até 2 viagens, inclui acesso ao Miradouro);

Cartão Lisboa Viva, 7Colinas ou Viva Viagem, carregados com títulos válidos na CARRIS;

Bilhetes dos circuitos Yellow Bus/Aerobus;

Bilhetes Lisboa Card.

CINCO RAZÕES PARA IR PARA O MUSEU DE DESIGN E DA MODA

http://www1.ionline.pt/conteudo/5461-cinco-razoes-ir-ao-novo-museu-do-design-e-da-moda

http://www.mude.pt/

ROSSIO PATIO HOSTEL

http://www.rossiopatio.com/site/

Miradouros de Lisboa

Minha viagem para Portugal não poderia ter sido melhor! Aliás, poderia ter sido bem melhor, se eu tivesse o triplo do tempo que tive para ficar lá!

Depois de todo o perrengue finalmente tinha chegado a hora de pagar minha promessa e consegui férias no trabalho. Tirei 10 dias de folga que foram divididos entre Polônia e Portugal. Para Portugal separei 6 dias, mas para planejar melhor a viagem sempre penso em quantos dias inteiros tenho no lugar e se terei “meio dia” para aproveitar, o que pode acontecer antes de vôos à tarde ou durante a noite.

Na viagem para Lisboa, teria 4 dias inteiros e um “meio dia” para aproveitar. O dia da minha chegada foi totalmente descartado, pois cheguei no aeroporto em torno das 8 horas da noite. Mas para minha surpresa, tive um super jantar em Cascais, num restaurante super gostoso, cortesia dos amigos Jorge a Paula, que estavam me esperando por lá.

Confesso que por ter uma amiga me esperando e por saber que ela estaria no aeroporto para me encontrar, dei uma relaxada e não fiz minhas inúmeras pesquisas antes de embarcar para a viagem. Sempre é bom saber sobre o transporte aeroporto-hostel e como andar pela cidade, assim você já tem uma idéia de quanto tempo vai gastar para se locomover e também não perderá tempo nos quiosques de informações do aeroporto.

Mas Lisboa é uma cidade super acessível economicamente falando e caso algo desse errado e Paula não pudesse me buscar, ela tinha me aconselhado a ir para a casa dela de táxi, pois não passaria de 7 Euros. Então se você está viajando em grupo, super compensa pegar um táxi, ao invés de cada um pagar uma passagem de ônibus cada para o centro da cidade.

Mas vamos para o roteiro de miradouros ou mirantes de Lisboa!!

Tinha uma mínima idéia do que encontrar na cidade, mas a única certeza que eu tinha para esses 4 dias era que 1 dia estava totalmente separado para Fátima e 1 dia para Sintra…O resto seria dividido entre Lisboa, Belém e se desse tempo, um pulinho em Cascais durante o dia para ver o mar!

Eu fiquei hospedada entre as estações de Metro Anjos e Arroios e fiquei super feliz ao saber que poderíamos fazer boa parte do turismo a pé! Acho que vale a pena colocar aquele sapato confortável e desvendar a cidade andando com o mapa na mão! Andar de metro pode ser mais rápido, mas perde-se muito da história do lugar se não separa pelo menos um bairro para andar sem rumo!

O tempo do primeiro dia estava horrível, com muita neblina, o que comprometeu totalmente a visão dos miradouros mais lindos de Lisboa. Mesmo assim fizemos o caminho de todos eles na esperança de conseguir boas fotos. NOT! Só consegui boas fotos dos miradouros e esplanadas de Lisboa, no meu último dia de viagem, que tirei para refazer todo o trajeto que tinha feito no primeiro dia.

Lisboa é conhecida também como a “cidade das 7 colinas”, então nada melhor do que começarmos o passeio pelos miradouros e apreciar vistas panorâmicas da cidade.

O primeiro miradouro foi o do Largo da Graça. Com uma visão incrível de toda a cidade, podendo ver bem distante a Ponte 25 de Abril. É uma ótima parada para se beber um cafezinho ou uma cerveja no fim da tarde. O elétrico 28 passa pelo miradouro, mas da para fazer o trajeto tranquilamente a pé se está vindo de Alfama. O café do miradouro fica aberto entre as 10 da manhã até meia noite mais ou menos, então dá para sentar lá a qualquer hora do dia.

Descendo a rua São Tomé, pela calçada da Graça, em alguns minutos vai chegar  no Largo das Portas do Sol. Lá vai encontrar um miradouro incrível e com muito espaço para tirar umas das melhores fotos de Lisboa. Quando passei por lá no meu último dia de viagem, já com um sol de tirar o fôlego, nada como um senhor tocando Bossa Nova no violão para melhorar a vista e o ânimo! Ao fundo o Rio Tejo, Alfama e no alto a cúpula do Panteão.

Muito próximo dali, praticamente ao lado do Miradouro das Portas do Sol, estava o Miradouro de Santa Luzia. Além da vista, os azulejos do miradouro são um show a parte. Logo que cheguei, perguntei para a Paula onde poderia ver os tão famosos azulejos portugueses, e lá encontrei o que queria ver. Em um painel é possível ver a Praça do Comércio antes do terremoto de 1755 e também o ataque cristão ao Castelo de S. Jorge. Lá uma artista vendia seus quadros, o que deixava a paisagem que já era incrível, ainda melhor!

Depois de muitas fotos no miradouro, com uma pequena caminhada você passará pela Catedral da Sé. Uma construção de estilo românico, foi construída em cima de uma mesquita, a mando do primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques, em 1150.

O último miradouro que conheci, já no fim da tarde, foi o Miradouro de Santa Catarina, ou Adamastor, no Bairro Alto. Ali é possível ver com mais clareza a grandiosidade da Ponte 25 de Abril e boa parte do Rio Tejo.  Tem uma grande esplanada e uma área verde onde se encontra uma estátua do Adamastor. Para quem não se lembra, Adamastor é um dos personagens de mitologia, que aparece no livro Os Lusíadas, escrito por Luís de Camões. Adamastor representava a tempestade contra Vasco da Gama.

Se ainda tiver tempo na cidade, vale a pena conhecer outros miradouros, pelos quais não consegui passar:

-Miradouro da Penha de França

-Miradouro da Senhora do Monte

-Miradouro de Santo Estêvão

-Miradouro de São Pedro de Alcântara

-Miradouro do Castelo de São Jorge (imperdível, mas eu perdi!)

DICAS ÚTEIS

Catedral da Sé

Fechada aos Domingos

Horário de visita: De Segunda a Sábado, das 09:00 às 12:00 e das 14:00 às 17:00.

Acessos: Ônibus: 37.  Eléctricos: 12 e 28

Portugal?? Claro!

Confesso que viajar para Portugal, era sem dúvida, uma das minhas últimas opções e estava quase descartando alguns dias na terra dos descobrimentos durante minha estadia na Europa.

Portugal só entrou no meu roteiro no fim do ano passado, quando mais uma da minha “super sorte” aconteceu. Minha carteira foi roubada, usaram uma boa grana do meu cartão e me deixou desesperada, pois aquele dinheiro estava sendo guardado para pagar umas contas pendentes. Com o desespero tomando conta de mim, quando voltava do posto policial aqui de Dublin, meu namorado na época (indiano) perguntou se eu não queria entrar na igreja que estávamos passando em frente e olhando no relógio, vendo que era hora da missa, pensei: Por que não??

Quando a missa começou, deu para entender que era uma celebração especial sobre Nossa Senhora de Fátima e aquilo foi tomando conta de mim e me dando uma paz, que no fim da missa eu já tinha feito uma promessa para a Santinha!

O banco tinha me avisado que se fosse provada a fraude do cartão, poderia receber meu dinheiro de volta em no mínimo quarenta dias…Mas eu não poderia esperar todo aquele tempo e foi aí que minhas preces foram atendidas! Depois de 4 dias, decidi verificar minha conta online e para minha super e mega surpresa, o banco já tinha devolvido todo meu dinheiro de volta!

Eis que a promessa era: viajar para Fátima, em Portugal, em agradecimento por me ajudar a receber o dinheiro roubado antes da data limite. E recebi muito, mas muito antes do prazo dado pelo banco. E como aqui nao temos Aparecida do Norte, foi para Fátima a minha peregrinação!!

Depois de tudo resolvido, hora de comprar passagens e a mais barata que tinha encontrado para Lisboa foi exatamente para a semana do meu aniversário. Então nada mais gostoso como me dar de presente alguns dias num país que era totalmente novo para mim, mesmo que no princípio, não sabia exatamente o que esperar de Portugal…

Tudo isso para explicar que às vezes há motivos maiores para se conhecer um país, motivos maiores do que encontrar uma passagem da Ryanair por 10 Euros! (adoro!!)

E foi assim que começou os meus planos para conhecer a terrinha que descobriu o Brasil . Depois de todo preconceito que eu tinha em relação ao país, ainda não me conformo como demorei tantos anos para conhecer Portugal e se fosse escolher um país para me mudar hoje, com certeza iria para lá!